Proibido tirar de giro e chamar no grau. Sujeito a cacete.

“Praticamente” em todas as regiões de São Paulo essas faixas foram vistas, inclusive em vias importantes de acesso a “grandes favelas” (comunidades), como Heliópolis e Parelheiros, na zona sul da capital, e Jaçanã, na zona norte. Em todas essas regiões o crime é monopolizado pelo PCC, maior facção criminosa do país. Danilo Verpa e Rogério Pagnan

Assim como na Grande São Paulo, os moradores desses bairros informam que elas foram colocadas nessas vias para aviso aos infratores, que são punidos em eventual desobediência. As punições geralmente ganham publicidade para conseguir o efeito dissuasório.

Os moradores do bairro Parque Alexandra, em Cotia, colocaram faixas em várias ruas alertando sobre o risco de dar ‘cacete’ em quem fizesse barulho ou desse ‘grau’ com moto na comunidade, o mesmo foi feito no Jardim Nova Cotia, em uma travessa da Rua Nova Odessa, moradores penduraram uma faixa com os mesmos dizeres. Cotia e Cia

Normalmente, essas faixas começam a aparecer quando se aproxima o fim de ano, época em que alguns motociclistas se reúnem para fazer barulhos com seus veículos.

No final de 2020, faixas semelhantes também foram instaladas na região do Morro do Macaco. “Está extremamente proibido tirar moto de giro e dar pipoco aqui na nossa comunidade”, dizia uma delas. Algumas das faixas foram afixicadas nas ruas Pelicano, Canários e Contemplação.

Nas festas de fim de ano grupos de motociclistas promovem ‘rolezinhos’ e tiram a paz de moradores de comunidades cotianas, para tentar coibir a prática, moradores do Morro do Macaco decidiram colocar  faixas pedindo para que motociclistas não perturbem na noite de reveillon “Está extremamente proibido tirar moto de giro e da pipoco aqui na nossa comunidade” diz uma delas.

“Tirar de giro” é a manobra realizada por motociclista que provoca a explosão do escapamento, barulho que se assem elha a disparos de arma de fogo. “Chamar no grau”, por sua vez, é empinar a roda da frente da moto para se exibir.

“Quero dizer que essas faixas são, sim, para serem respeitadas, entendeu, mano? Quem está colocando é a comunidade, é o crime, em prol da população”, diz o rapaz, fazendo, segundo ele mesmo, uma retratação de uma postagem anterior em que aparece “tirando de giro” e desrespeitando uma dessas faixas.

“Porque quem vier a fazer isso daí vai ser pego para exemplo, como eu estou sendo”, diz ele. Em seguida, é espancado por um homem com chutes, socos e cotoveladas.

O caso vem sendo investigado pela Polícia Civil, que quer descobrir quem colocou as faixas. Em alguns pontos, esses avisos visuais foram removidos por ordem da polícia.

A polícia também diz, em nota, que “a Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes (Dise) do município investiga outros locais na cidade em que possam existir faixas, no intuito de “apurar” “eventuais” crimes existentes por trás de tal comportamento”.

Caceze-se: Motoqueira Fantasma, Luiz Gonzaga Leite, o Guarda Luizinho!, PARE ou DIMINUA?, Moro, nem tanto., É ao morrerem que se tornam santos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: