Ausonia Donato, entre outras.

Ausonia Favorido Donato – Escavador

A participação da Ausonia foi especialmente dirigida por Cacau Rhoden, pai de ex-aluno da escola. Acreditamos que esse material possa ser inspirador e motivador para muitos educadores que trabalham diariamente procurando formar pessoas justas e solidárias. Direção do Colégio Equipe

O pequeno burguês

Felicidade, passei no vestibular

Mas a faculdade é particular

Particular, ela é particular

Particular, ela é particular

Livros tão caros tantas taxas pra pagar

Meu dinheiro muito raro,

Alguém teve que emprestar

O meu dinheiro, alguém teve que emprestar

O meu dinheiro, alguém teve que emprestar

Morei no subúrbio, andei de trem atrasado

Do trabalho ia pra aula, sem

Jantar e bem cansado

Mas lá em casa à meia-noite tinha

Sempre a me esperar

Um punhado de problemas e criança pra criar

Para criar, só criança pra criar

Para criar, só criança pra criar

Mas felizmente eu consegui me formar

Mas da minha formatura, não cheguei a participar

Faltou dinheiro pra beca e também pro meu anel

Nem o diretor careca entregou o meu papel

O meu papel, meu canudo de papel

O meu papel, meu canudo de papel

E depois de tantos anos,

Só decepções, desenganos

Dizem que sou um burguês muito privilegiado

Mas burgueses são vocês

Eu não passo de um pobre-coitado

E quem quiser ser como eu,

Vai ter é que penar um bocado

Um bom bocado,

Vai penar um bom bocado. (Martinho da Vila, 1969)

A canção inicia com uma expressão que carrega em si um conjunto de sonhos e desejos, “felicidade!”, seguido daquilo que motivou esse sentimento: “passei no vestibular!”. Essa frase se transformou ao longo do tempo na expressão de uma conquista que estabelecia um limite muito claro entre dois grupos sociais, aqueles que teriam o reconhecimento expresso em aspectos simbólicos, traduzido pelo título de doutor, e aos que se negavam a possível continuidade dos estudos. Essa diferença, estruturante quando pensamos na constituição da sociedade brasileira, tem início em tempos em que ainda nem se cogitava compreender o Brasil como nação. O samba nos revela, em seus dois primeiros versos, um mecanismo que constitui um dos maiores impasses quando pensamos quais seriam as finalidades de um processo educacional. Afinal, a educação não deveria ser pensada como uma estratégia de emancipação de todos e de cada um? (Freire, 1987, p.30). Os preteridos e os preferidos: sinal dos tempos da educação. AUSONIA DONATO e MONIQUE BORBA CERQUEIRA. Instituto de Saúde, São Paulo, São Paulo, Brasil. In: Scielo


Assim, quando pequenos, vão com suas bicicletas de rodinhas e aos poucos vão aprendendo a se equilibrar, prescindindo delas e se tornando capazes de dar várias voltas na pista. É claro que alguns tombos e esfolados acontecem. Afinal, aprender nem sempre é fácil! Estadão
Veja também: O crime compensa, Deixa o menino brincar!, Todos querem ser felizes!, Sexo seguro!, FHC = THC, A onda, A Revolta dos Macacos, Não sou de postar coisas religiosas, mas as vezes, esse tipo de coisa é que me deixa com muita raiva da sociedade!, Criacionismo., Feliz dia do índio!!!, 3º opção, Paulo Freire, The Sustainability Treehouse, O dízimo da educação!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s