Óleo de Marijuana

O Ministério da Saúde da Tailândia recebeu em agosto de 2019, o primeiro lote de cannabis medicinal legal para ser distribuído em hospitais estatais. O próprio ministro da Saúde Pública, Anutin Chanvirakul, comandou a cerimônia de entrega de 4500 frascos, as quais continham óleo extraído das plantas de cannabis. Sechat


O CBD, ou canabidiol, é um dos componentes não psicoativos encontrados na canábis, ou planta do cânhamo. O consumo de CBD vem aumentando; as pessoas estão usando o ingrediente para uma série de problemas de saúde.

O CBD pode ser encontrado em forma de óleo, possivelmente sua apresentação mais conhecida e frequentemente estudada. Também pode ser fumado num cigarro eletrônico, ingerido, como em balas de goma de CBD, ou acrescentado a artigos como cremes e produtos de beleza.

Uma das utilizações mais comuns do produto talvez seja para conseguir alívio do estresse ou outras questões de saúde mental. Virginia Thornley, neurologista credenciada de Sarasota, Flórida, que revê artigos científicos sobre o canabidiol, disse ao HuffPost anteriormente que os efeitos do CBD podem ser semelhantes aos de ansiolíticos e antidepressivos.

Um estudo publicado em 2017 pela USP constatou que o CBD pode reduzir a ansiedade de pacientes com fobia social. Uma revisão publicada no periódico especializado Schizophrenia Bulletin sugere que o CBD pode trazer benefícios clínicos para pacientes com psicose em estágio inicial. Lindsay Holmes, HuffPost US

O CBD pode ser um método de tratamento promissor para pessoas com dependências, diz a neurocientista Yasmin Hurd, diretora do Instituto de Adição da Escola Mount Sinai de Medicina.

Hurd e seus colegas realizaram estudos clínicos de CBD com animais e humanos para verificar como a substância pode ajudar com a drogadição. Eles obtiveram resultados positivos nos dois ensaios clínicos.

Um estudo de 2016 sobre ratos com artrite constatou que o gel de CBD aplicado às articulações dos animais reduzia a inflação e a dor nas juntas. Isso sugere que o CBD pode ter efeito analgésico para pessoas com essa mesma condição, muitos usuários de CBD dizem que o produto alivia a dor e os efeitos colaterais de condições médicas, e especialistas estão encontrando evidências preliminares nesse sentido. O efeito benéfico inclui o possível alívio de convulsões epilépticas, dor crônica e dor provocada por câncer.

Segundo o psicólogo clínico e especialista em sono Michael Breus, pelo fato de ajudar a acalmar o estresse e a ansiedade o CBD também pode ajudar as pessoas a terem um sono melhor. O CBD também pode aumentar as horas totais de sono e reduzir a insônia, segundo pesquisas. Já foi comprovado que o CBD reduz a insônia entre pessoas que sofrem dor de costas crônica.
Os produtos à base de CBD não são aprovados pela Food and Drug Administration (órgão americano que regulamenta os alimentos e medicamentos). Sua pureza e suas dosagens não são controladas, como é o caso de outros medicamentos.

Algumas pessoas podem apresentar sonolência quando usam CBD, mas, como explicou Hurd, o produto também pode ser empregado para combater problemas do sono. Já houve relatos de diarreia após o uso de altas concentrações de CBD, irritabilidade ou náuseas. A Academia Americana de Pediatria desaconselha seu uso em crianças, devido a preocupações com o desenvolvimento cerebral.

De modo geral, porém, diz Hurd, o CBD não tem muitos efeitos colaterais comprovados, razão por que os pesquisadores esperam estudá-lo como tratamento potencial para problemas de saúde.

A legislação muitas vezes é confusa e aberta a interpretações, mas o CBD ainda pode ser visto como substância ilegal em algumas partes dos Estados Unidos. A Cannabis, da qual são derivadas tanto a maconha quanto o CBD, é considerada uma droga da categoria um, o que, segundo a Drug Enforcement Administration, significa que “não existe no momento uma utilização médica aceita da droga, enquanto o potencial de abuso dela é alto”.

“Acho que as pessoas devem agir com cautela em relação ao CBD que possam estar usando, porque ainda não foram feitas pesquisas suficientes”, disse Hurd. “É isso o que estamos tentando fazer. Queremos promover muitos ensaios clínicos para sabermos mais sobre como as pessoas podem usar CBD com mais eficácia para seu problema de saúde específico.” HuffPost Brasil

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s