Protagonismo indígena

Olá,

Gravado de forma espontânea, em menos de uma hora, com um celular e uma Handycam, o documentário em estreia Cordilheira de Amora II viaja pela mente fantástica de Carine, uma indiainha Guarani kaiowá de 9 anos, que transforma seu quintal em um universo rico de histórias e personagens inventados. Sua matéria-prima para criar computador, salão de beleza e até ponto de ônibus são tijolos quebrados, pedaços de móveis, lixo e muita imaginação.

À época da gravação, a diretora Jamille Fortunato frequentava a aldeia de Carine, no interior de Mato Grosso do Sul, para ensinar cinema aos seus moradores. O filme foi eleito em 2015 o Melhor Documentário em Curta-metragem no É Tudo Verdade, principal festival dedicado exclusivamente ao gênero do documentário na América do Sul.

Em destaque, quatro curtas que nos apresentam como algumas etnias indígenas enxergam o mundo, além de exporem a luta desses povos por protagonismo na sociedade e no audiovisual. Equipe Porta Curtas

ZAHY – uma fábula sobre o Maracanã

Priara Jô – Depois do Ovo, a Guerra (Leg. Português)

Pajerama

um Rei no Xingu de Helena Tassara

Esse vai de presente:

Índios Somos Nós

Mude conceitos, você pode e deveHino Nacional em dialeto ticunaLUMINESCE™BoitatáA RAINHA DE MAIONAARA BEAUTY DRINK!!!A evolução dos robôs.NEVOOlhos AzuisRELATÓRIO FIGUEIREDOINSTANTLY AGELESS ™NÃO EXISTEM ÍNDIOS NO BRASILBESOURINHAVIDACELL®VISIBILIDADE INDÍGENARESERVE™O ESCARAVELHO DO DIABOPlaca PioneerJÁ NÃO ME SINTO EM CASA NESSE MUNDO

2 respostas para “Protagonismo indígena”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s